Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Inscrições para oficinas com artistas renomados abertas até 26 de setembro

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

13/09/2018 12h15 - Atualizado em 13/09/2018 12h21

Inscrições para oficinas com artistas renomados abertas até 26 de setembro

Sabah Moraes ministra oficina de canto popular e Roberto Corrêa dá curso de aperfeiçoamento em viola caipira

O 8º Festival Anapolino de Viola abre inscrições para oficinas de canto popular e aperfeiçoamento em viola caipira. Os interessados devem ficar atentos, pois as vagas são limitadas e o prazo para se inscrever vai de 14 a 26 de setembro. As oficinas acontecem nos dias 29 e 30 de setembro, no Sesc, que fica na Avenida Santos Dumont, esquina com Zeca Louza, no Bairro Jundiaí.

A ficha de inscrição pode ser solicitada pelo e-mail festivalanapolinodeviola@gmail.com ou retirada na Secretaria de Cultura (Avenida São Francisco, nº 269, Jundiaí, CEP: 75.110 - 810). A inscrição pode ser efetivada pessoalmente na Secretaria de Cultura ou enviada para o e-mail. Dúvidas podem ser tiradas no próprio e-mail ou pelo telefone (62) 39021089.

Entre 9h e 12h, nos dois dias, será realizada a oficina de canto popular, com Sabah Moraes. Graduada em canto lírico e mestre em canto popular pela Universidade Federal de Goiás (UFG), tem diversos CDs lançados e é responsável por montagens de musicais com grande repercussão de crítica e público.

Sabah atua não só na música, mas também no teatro, cinema e literatura. Ela já fez parte do Coral Sinfônico do Estado de São Paulo, quando teve a oportunidade de ser regida por grandes maestros, como Eleazar de Carvalho, Diogo Pacheco,John Neschling, Aylton Escobar e Roberto Minczuk.

Sabah Moraes recebeu em 2011, em reconhecimento a seu trabalho, a Comenda Pedro Ludovico Teixeira, da Assembleia Legislativa de Goiás, devido à sua contribuição para a cultura regional, com participações em eventos como o Fica, Canto de Ouro, Canto da Primavera e Vozes de Goiás.

Também nos dias 29 e 30 de setembro, só que entre 14h e 17h, Roberto Corrêa ministra a oficina de aperfeiçoamento em viola caipira. Radicado em Brasília desde 1975, o mineiro é violeiro, compositor e pesquisador. É graduado em Física e Música pela Universidade de Brasília (UnB) e doutor em Musicologia pela USP.

Em sua carreira, Roberto Corrêa lançou 19 discos e apresentou a viola caipira e a viola de cocho nas diversas regiões brasileiras e em 29 países. Realizou recitais em importantes salas de concerto internacionais como o Konzerthaus (Viena), Beijing Concert Hall (Pequim) e Haus der Kulturen der Welt (Berlim).

Corrêa compôs trilhas sonoras originais para a TV Globo e a TV Cultura e para espetáculos teatrais. Ele foi agraciado com a Ordem do Mérito Culturalem 2008, comenda concedida pelo governo federal por sua contribuição à cultura.

O Festival

O 8º Festival Anapolino de Viola é destinado a duplas e cantores solo de música caipira. A apresentação competitiva tem duas categorias: música autoral inédita e interpretação. Clique aqui e conheça as duplas e músicas selecionadas. As 20 músicas escolhidas pela Comissão de Seleção e Premiação serão apresentadas pelos artistas no dia 28 de setembro. Dez serão selecionados para a final no sábado, dia 29 de setembro.

Daí sairão os seis premiados – três em cada categoria – para abrir o show de encerramento do festival, no domingo, dia 30 de setembro, com apresentações de Marcus Biancardini e a dupla Zé Mulato e Cassiano. Todas as apresentações acontecem na Praça Dom Emanuel. Somente a abertura oficial será no Sesc Jundiaí, no dia 27. Veja, abaixo, a programação completa.

O primeiro colocado na categoria música inédita autoral irá receber R$ 5.000,00. O segundo lugar ganha R$ 3.000,00 e o terceiro, R$ 2.000,00. Já na categoria interpretação, a premiação é a seguinte: R$ 3.500,00 (1º lugar), R$ 2.500,00 (2º lugar) e R$ 2.000,00 (3º lugar). Os 20 selecionados recebem cachê de R$ 500,00.

O 8º Festival Anapolino de Viola é uma realização da Prefeitura Municipal de Anápolis, juntamente com a Associação Cultural Motriz, com recursos do Fundo de Arte e Cultura de Goiás 2017.