Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Quando as palavras são menos importantes que os gestos

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

13/04/2018 15h48 - Atualizado em 13/04/2018 22h47

Quando as palavras são menos importantes que os gestos

Turma da Escola Municipal Ernst Heeger aprende Libras para acolher colega com deficiência auditiva

Foto: Santiago Plata - Ascom

No 3º ano B da Escola Municipal Ernst Heeger todos os 31 alunos são bilíngües. Junto com o português ensinado em sala de aula aprenderam Língua Brasileira de Sinais (Libras) para se comunicarem com uma colega deficiente auditiva, a Deborah Maria Silva. E como se tornaram proficientes na língua dos gestos receberam, na tarde desta quinta-feira, certificado de conclusão, com direito a solenidade e tudo mais.

As professoras Eliane Aparecida e Euline de Fátima foram as responsáveis pelo projeto, que batizaram de “Sou bilíngüe”, e contaram com a ajuda da intérprete do Centro Municipal de Apoio ao Deficiente , Queila Romero. A Língua Brasileira de Sinais (Libras) é a forma de comunicação usada pela maioria dos deficientes auditivos e é considerada a segunda língua oficial do Brasil.

Eliane Aparecida, professora da turma, disse que se surpreendeu com a recepção dos alunos ao projeto. “Eu fiquei muito encantada com a empolgação da turma em aprender a linguagem de sinais. Agora, eles disputam para saber quem será o intérprete da Débora no dia” disse.

Segundo Rosângela Aparecida, o projeto promoveu uma transformação na vida da sua filha. “A Deborah, antes de estudar nesta escola, era uma criança que não se comunicava com ninguém. Agora, ela tem amigos e chora para vir à escola, e tudo isso graças ao acolhimento que ela recebeu aqui” disse.

Quando as palavras são menos importantes que os gestos