Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Semana de combate à doença conscientiza a população

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

29/01/2019 14h13 - Atualizado em 29/01/2019 14h32

Semana de combate à doença conscientiza a população

Tratamento é oferecido gratuitamente em todas as unidades de saúde do município

Foto: Renato Lopes - Ascom

Até sexta-feira, 1º de fevereiro, a unidade de saúde do Bairro Jundiaí promove a Semana de Combate e Prevenção da Hanseníase, para reforçar a mensagem do dia nacional de combate e prevenção da doença, celebrado em 28 de janeiro. O objetivo é conscientizar sobre as formas de transmissão e acompanhamento e, principalmente, informar que há cura e tratamento gratuito no posto de saúde.

A professora Marisa Nascimento esteve na unidade para vacinar sua filha e aproveitou as ações de saúde oferecidas. Também ficou atenta às informações sobre a hanseníase. “É uma doença que ainda tem certo preconceito, mas todo mundo é suscetível”, disse. O aposentado Lourenço Lima foi outro que não perdeu a explanação sobre a doença. “Vim medir a pressão e saí bem informado”, frisou.

Todas as unidades de saúde oferecem o tratamento, mas a Dr. Ilion Fleury, no Bairro Jundiaí, é a referência para o atendimento de hanseníase em Anápolis. No local, são recebidos pacientes de livre demanda e com encaminhamento para diagnóstico. “Também são feitos acompanhamentos dos casos mais graves, com comorbidades, com reação hansênicas ou eventos adversos médios e graves”, explicou a responsável pelo programa de hanseníase da Secretaria Municipal de Saúde, enfermeira Aline Garcia Fernandes Carvalho.

O programa conta com duas médicas dermatologistas, um enfermeiro, uma psicóloga e duas técnicas de enfermagem. Há ainda um laboratório para coleta que faz os exames de baciloscopia de linfa, que avalia a presença do bacilo causador da hanseníase. Na Unidade Jundiaí são ofertados também os serviços de educação em saúde, avaliação dermato-neurológica, consulta com especialista, tratamento e monitoramento da doença e reação tipo 1 e 2. É feito ainda o acompanhamento psicoeducacional do paciente.

Apesar de existir uma unidade de referência, Aline Garcia frisou que a avaliação e o diagnóstico de hanseníase podem ser realizados em qualquer unidade básica de saúde da cidade. O tratamento também é descentralizado. Isso significa que a entrega dos medicamentos é feita em todas as unidades que possuem Estratégia Saúde da Família (ESF).

As equipes da ESF cuidam do tratamento precoce da hanseníase, algo fundamental, e também fazem a avaliação das pessoas que vivem na mesma casa do portador da doença. “Essa medida é fundamental por se tratar de uma doença infectocontagiosa”, informou a responsável pelo programa.

Anápolis registrou 61 casos de hanseníase em 2018. O tratamento da doença varia de seis meses nas formas paucibacilares a um ano nos multibacilares, podendo ser prorrogado ou feita a substituição da medicação em casos especiais. O tratamento é eficaz e cura. Após a primeira dose da medicação não há mais risco de transmissão durante o tratamento e o paciente pode conviver em meio à sociedade.  

Semana de Combate e Prevenção da Hanseníase

Período: 28 de janeiro a 1º de fevereiro

Horário:Das 7h às 17h

Local: Unidade de Saúde Dr. Ilion Fleury (Avenida São Francisco, nº 810, Bairro Jundiaí)

Objetivo: Atendimento da população local e pacientes presentes na unidade durante todo o período matutino.

Ações:

- Educação em saúde: orientações sobre sinais e sintomas da doença, transmissão, tratamento, estigma e preconceito.

- Atendimento da equipe de enfermagem e de psicologia.

- Triagem e exame dermato-neurológico em pacientes suspeitos com agendamento de consulta.

- Acolhimento de pacientes encaminhados e livre demanda para triagem e agendamentos bem como atendimento para esclarecimento de dúvidas.

- Intensificação de busca ativa em contatos e pacientes faltosos.