Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Surdos visitam o 24º Salão Anapolino de Arte

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

11/06/2019 10h17 - Atualizado em 11/06/2019 10h19

Surdos visitam o 24º Salão Anapolino de Arte

O evento já recebeu cerca de 1,5 mil visitantes; exposição vai até 26 de julho

Foto: Paulo Giovanni

O Salão Anapolino de Arte que está em sua 24ª edição, recebe visitas com ações educativas com grupos especiais, escolas e colégios. O período de visitações será ampliado até o dia 26 de julho, em horário comercial e também com agendamentos. O evento é de entrada franca, incentivado pelo Fundo Estadual de Arte e Cultura de Goiás 2017. A iniciativa das ações é Associação dos Amigos da Galeria Antônio Sibasolly e da Prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.

As visitas acompanhadas de ações educativas têm o objetivo de promover o conhecimento e a divulgação das 20 obras em exposição. As instituições de ensino e grupos especiais foram recebidas na Galeria Antônio Sibasolly. O educador José Loures e o curador do Salão, Paulo Henrique Silva, acompanham o público prestando informações sobre as obras e instigando a reflexão sobre elas. Do dia 18 de maio –, quando iniciou a mostra –, até o dia 7 de junho, o Salão Anapolino recebeu um público de cerca de 1,5 mil pessoas, só de unidades de ensino.  

Os alunos da Escola Municipal Deputado José de Assis, do Bairro de Lourdes, foram a 12ª instituição de ensino recebida, entre os dias 3 a 7 deste mês. Foi um momento de aprendizagem sobre a cultura e a arte, conhecimento a mais que eles terão a partir de agora. “A forma de falar sobre cada obra impactou no que pensamos a respeito da arte e foi além, mostrando outras maneiras de pensar sobre cada uma delas”, conta o estudante Gleyson Ribeiro, 19 anos.

Inclusão
Na mesma noite em que os alunos da Escola estiveram, da última sexta-feira, 07, participaram da visita um grupo de pessoas surdas. A visita contou com interpretação em línguas de sinais (Libras), pela intérprete do projeto, Maria Clara Lobo. “Pudemos ver nas obras as histórias de nossas próprias vidas, além do aprendizado que tivemos sobre a arte”, destaca Eliane Felipe, de 48 anos, em entrevista com a colaboração da intérprete.

Eliane conta que na infância teve uma experiência de visita a um Museu, porém sem a mediação com língua de sinais. Ela aponta que nesta primeira experiência com intérprete, a diferença de interação e entendimento fez toda a diferença. “O importante da experiência da inclusão não fica somente em democratizar o acesso, mas também o retorno dessas pessoas incluídas com suas histórias de vida e suas opiniões a respeito da arte”, pontua a secretária municipal de Cultura, Eva Cordeiro.   

Serviço
24º Salão Anaplino de Arte
Data: Até 26 de julho
Horário: 8h às 12h e 14h às 18h
Local: Galeria de Artes Antônio Sibasolly – Praça Bom Jesus, nº 101 – Centro
Informações: 3902-1089
Entrada gratuita

Surdos e mudos visitam o 24º Salão Anapolino de Arte