Página Inicial / Multimídia/ Notícias/ Vítimas de violência doméstica terão acolhimento em Anápolis

ImprimirImprimir

Tamanho da fonte fonte fonte

08/03/2018 18h43 - Atualizado em 08/03/2018 18h58

Vítimas de violência doméstica terão acolhimento em Anápolis

Edital de chamamento público foi lançado em evento no núcleo do SCFV da Vila Mariana

Em breve, as mulheres vítimas de violência em Anápolis terão um lugar para serem acolhidas, juntamente com seus filhos, se necessário. É que nessa quinta-feira, 8, Dia Internacional da Mulher, foi lançado o edital para chamamento público de instituições que abrigam mulheres nessa situação. "É um espaço que acolherá essas mulheres, garantindo seus direitos e, principalmente, sua segurança. Nada melhor que a data de hoje pra darmos esse avanço na proteção e apoio às mulheres anapolinas", disse o prefeito Roberto Naves, que ao lado da primeira-dama Vivian Naves, assinou o documento para a seleção das entidades. (Confira o link para o edital)

"Se na minha cidade tivesse lugar assim, eu não precisaria ter me mudado", frisou a acadêmica de direito Juliana Albuquerque, que deu um emocionante depoimento sobre violência doméstica. Vítima desse crime, a mato-grossense que hoje vive em Anápolis, conseguiu denunciar o agressor com o apoio da família e deu a volta por cima. "Hoje minha vida é outra. Estou aqui para dizer a todas vocês que não precisam ter medo. Aqui tem pessoas que garantem a nossa segurança, a nossa liberdade, os nossos direitos. Tem o Centro de Referência da Mulher que dá todo o amparo necessário nessa situação e essas pessoas maravilhosas que nos ajudam a encontrar novos caminhos", disse.

Juliana se referia às pessoas que compõem a rede de proteção à mulher em Anápolis. Além do prefeito e da primeira-dama, participaram do evento as delegadas Aline Vilela, Marisleide Santos e Cíntia Cristiane Alves, as vereadoras Maria Geli Sanches, Thaís Souza e Elinner Rosa, a tenente Daiene, da Patrulha Maria da Penha, entre outras autoridades. A secretária municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho, Emprego e Renda, Tânia Aparecida da Silva, afirmou que esse é um marco para a cidade de Anápolis. "Com esse espaço de acolhimento, tenho certeza que vamos dar apoio a muitas mulheres que deixam de denunciar seus agressores por não terem para onde ir", destacou.

Não foi só a Juliana que emocionou o público com suas palavras. Em seu discurso, o prefeito Roberto Naves dedicou aquele momento à vereadora Vilma Rodrigues, que está internada em decorrência de um grave problema de saúde, e que sempre lutou contra a violência às mulheres, crianças e idosos. "Se Deus quiser, em breve ela estará lutando novamente em prol de suas causas e da população. Dedicamos isso tudo a ela", finalizou o prefeito pedindo a todos que estavam no núcleo do Serviço de Convivência da Vila Mariana, uma oração para a parlamentar.

Ações

E o dia também foi de festa. As aulas de zumba e o espaço da beleza animaram as mulheres que passaram por lá. Isolina Ferreira, 54, aproveitou pra fazer limpeza de pele. "Nunca fiz na minha vida. Sempre quis, mas nunca tive condições", disse a dona de casa empolgada com o procedimento. Já a Adriana Melo, 27, foi buscar informações sobre o Bolsa Família. "Tenho três filhos e a nossa renda não é suficiente. Não tenho com quem deixar as crianças para trabalhar, por isso vim olhar como consigo o benefício", comentou.

As equipes do Centro de Referência Especializada em Assistência Social (Creas) e do Centro de Referência em Assistência Social (Cras) também estiveram no local para dar informações. Além disso, alguns atendimentos em saúde foram oferecidos e também ministradas palestras sobre nutrição, planejamento familiar e saúde da mulher. E para a criançada teve muita diversão com pula-pula, pescaria, pinturas corporais, pipoca e algodão doce.

 

Vítimas de violência doméstica terão acolhimento em Anápolis